10 Destinos para Apreciar as Cores de Outono no Hemisfério Norte

Admirar a chamada fall foliage (folhagem de outono), processo no qual as folhas das árvores ganham poéticas cores quentes, do amarelo ao magenta, passando por tons como laranja, terracota e bordô, é um importante motivador de viagem no Hemisfério Norte. O fenômeno origina-se na redução das horas diárias de sol e, consequentemente, da fotossíntese, responsável pela produção da clorofila que dá a cor verde às folhas. Carvalho, bordo canadense (a famosa maple tree) e plátano, muito conhecido dos visitantes de Campos do Jordão, estão entre as espécies que se transformam com a chegada da meia estação. Quando plantadas próximas umas das outras, essas árvores formam uma cartela multicolorida realmente linda de se ver.

As melhores regiões para observar a foliage no Hemisfério Norte são o sudeste do Canadá, o nordeste dos Estados Unidos, a Escandinávia, o norte da Europa, a região do Cáucaso próxima do Mar Negro, a Rússia e o Extremo Oriente. Embora os dias já sejam mais curtos, sobretudo por se tratar de altas latitudes, superam as horas de luz natural do inverno, com céu claro pelo menos das 9h às 16h. O clima, embora frio, ainda é suportável para os padrões brasileiros, atingindo temperaturas negativas somente de madrugada ou no final da estação, a partir de meados de novembro. Nos dias mais gelados, porém, você precisará de roupas com proteção térmica, nem sempre fáceis de encontrar no Brasil (e bem mais baratas no exterior),

Na maioria dos destinos, as folhas mudam de coloração a partir de meados de setembro, atingem suas tonalidades mais vivas no começo de outubro e começam a secar na segunda quinzena do mesmo mês, como pode ser visto neste mapa (aperte o play) da Nova Inglaterra, região do nordeste americano que é um clássico de outono do país.

A seguir, confira 10 das mais consagradas regiões, cidades e atrações do Hemisfério Norte para ver lindas paisagens da fall foliage, com tonalidades que se destacam no cenário, saltam à vista e explodem em cores nas fotos.

 

1. Nova York, Estados Unidos

Nem sempre é necessário se perder pelos rincões de um país para admirar a foliage de outono. Em pleno Central Park, o show das cores na copa das árvores pode ser visto em uma caminhada a partir do Jardim do Conservatório, próximo da entrada da 5ª Avenida com a 72nd Street. Siga na direção norte do parque até encontrar a área conhecida por Tupelo Meadow, uma área colorida pelas folhas amarelas, vermelhas e roxas dos tupelos. Continue até North Woods, ao lado das cascatas da The Ravine, para encontrar carvalhos, olmos, maples vermelhos e cerejas negras. De lá, vá para o lago The Pool e, próximo do Great Hill, repare nas faias europeias, árvores cujas folhas ganham lindas tonalidades entre o laranja e o vermelho. Quer ver a folhagem longe da área urbana? Alugue um carro e viaje 436 km para o norte, onde se encontra o Adirondack Park, uma reserva espetacular de 24.281 km² com 10 mil lagos, 48,2 mil km de rios e canais, pântanos, florestas e todas as cores do outono. Antes de fazer a viagem, não esqueça de checar o estágio da foliage, monitorado nas áreas turísticas dos Estados Unidos como se fosse a previsão do tempo.

 

2. Green Mountain Byway, Vermont, Estados Unidos

Os maples, vidoeiros e faias que ladeiam esta rota de 17 km entre Waterbury (terra natal do sorvete Ben & Jerry's) e Stowe (local de uma famosa estação de esqui do leste americano), no estado de Vermont, compõem um dos mais deslumbrantes cenários de outono da Nova Inglaterra. O trajeto passa pelos arredores de dois parques e três florestas estaduais, todos forrados de espécies que se colorem na estação. As folhas costumam atingir o ápice de suas tonalidades na primeira semana de outubro.

 

3. Denali National Park, Alasca, Estados Unidos

É entre o final de agosto e o começo de setembro, bem mais cedo do que na maioria das reservas naturais onde se observa a foliage, que a vegetação rasteira da tundra colore de vermelho e laranja esse parque nacional. Nos dias claros, com as montanhas nevadas ao fundo, a paisagem é de embasbacar. Entre as árvores, as faias dispersas perto da entrada da reseva e os pequenos salgueiros dão a tonalidade amarela que complementa a paleta pré-outonal do Denali. Bônus, os ursos, alces e renas são mais ativos e fáceis de serem vistos agora do que em outubro.

 

4. Quebec, Canadá

Embora o outono tinja diversos parques da afrancesada cidade canadense, a folha vermelha de maple na bandeira do país dá a pista: há muito mais para ser visto por todo o estado de Quebec. Na Península Gaspé, as árvores coloridas contrastam com as águas azuis do Golfo de St. Lawrence. Nas falésias do Parque Nacional Forillon, somente as sete espécies de baleia que passam perto da costa em outubro são capazes de rivalizar com as paisagens impressionistas das cores de outono. Nos arredores da cidade de Quebec, o acúmulo de açúcar na seiva das folhas de maple deixa as copas das árvores num tom queimado de vermelho, sobretudo nas regiões de Beauce, ao sul, e Charlevoix, do outro lado do Rio St. Lawrence, ao norte.

 

5. Vale do Rio Douro, Portugal

Não são só espécies típicas das altas latitudes que se transformam camaleonicamente no outono. Nas encostas do Rio Douro, no norte de Portugal, os terraços de parreirais que formam um gigantesco veludo inclinado na paisagem do vale colorem-se de verde, laranja e amarelo, um cenário que merece ser apreciado com uma taça de vinho do Porto a bordo de um passeio de barco, ou em uma trip de carro sem nenhuma pressa pelas sinuosas e panorâmicas estradas que serpenteiam as montanhas. Aqui, a foliage chega um pouquinho atrasada, mais para o fim de outubro, e altera especialmente as folhas da touriga francesa, presente em mais de 20% da viticultura local.

 

6. Westonbirt Arboretum, Inglaterra

Na região de Tetbury, a oeste de Londres, o Westonbirt é um jardim botânico com mais de 16 mil árvores de 3 mil espécies diferentes, das quais muitas explodem em cores durante a estação de troca das folhas. Para dar uma dimensão da mudança da paisagem, o outono é considerado a melhor época para visitar o parque, mesmo com a friaca inglesa. Outubro costuma ser o mês certeiro, mas não há uma quinzena certa e regular em que a foliage atinge o ápice, já que o clima comanda a evolução e até as cores dessa transformação.

 

7. Região da Bavaria, Alemanha

Na terra do Castelo Neuschwanstein, o mesmo que inspirou Walt Disney a construir uma réplica para a Cinderela, o cenário de conto de fadas fica todo cercado pelas cores da foliage. E ele nem é o que mais enfeitado durante o outono. A apenas 2 km, o Castelo Hohenschwangau não chega a golear de 7 a 1 no placar, mas ganha inclusive pela proximidade com o Lago Alpsee, elemento que ajuda a compor o cenário perfeito – a região toda, não por acaso, está na chamada Rota Romântica da Alemanha, endereço de preciosidades como as medievais Rothenburg ob der Tauber e Dinkelsbühl. Cheias no verão, elas são bem mais sussas agora.

 

8. Oslo, Noruega

Como em Nova York, a capital norueguesa tem copas tingidas pelo outono por todos os cantos. Para unir natureza e cultura, um programa imperdível na cidade é o Vigeland Park, o maior parque de esculturas de um único artista no mundo, o norueguês Gustav Vigeland. Um arraso de gramados simétricos e árvores coloridas pela foliage, o espaço exibe 212 figuras humanas de granito e bronze, com eloquentes expressões corporais.

 

9. Pequim, China

No noroeste da cidade, os jardins imperiais de Fragrant Hills datam do século 12 e são cortados por caminhos na floresta que levam a projetos paisagísticos caprichados e construções tradicionais. No outono, melhor época para visitar a atração, as árvores do gênero cotinus explodem em carmesim entre os pinheiros para colorir a paisagem. Já que você foi tão longe, aproveite para observar a foliage que cerca a Grande Muralha com tons vermelhos, dourados, amarelos e marrons, em complemento às cores cinzas e pálidas da interminável fortificação. Evite apenas a primeira semana de outubro, quando o feriado nacional chinês deixa tudo mais apinhado de gente, e aproveite para ir mais tarde, já que o fenômeno botânico atinge o seu ápice da metade desse mês até meados de novembro.

 

10. Kyoto, Japão

Nem só de cerejeiras é feita a terra do sol nascente. As cores da foliage, que se espalham pelas árvores de maple de meados de outubro a dezembro (com o apogeu na metade de novembro), podem ser vistas em diversos templos de Kyoto (Tofuku-ji, Nanzen-Ji, Ginkaku-Ji), na vila de Takao, na ilha de Honshu e no parque Okoshi-Sanso. Observar o colorido das copas tem até um nome em japonês – koyo –, o que demonstra o quanto os nipônicos valorizam esse espetáculo natural. Para evitar o crowd, são spots mais tranquilos os templos Shinyodo, Kurama-dera e Daitoku-ji, e os jardins do Kyoto Gyoen, nada menos que o parque do palácio imperial (o local é imenso).