Festa do Tomate

31 de janeiro, 01 de fevereiro e 02 de fevereiro de 2014

Festa do Tomate em Paty do Alferes, RJ

Representação da Festa do Tomate - Todos os direitos da foto reservados ao usuário do Flickr Guy Renard.

Encontre aqui imóveis em Paty do Alferes aqui

Festa do Tomate e turismo cultural em Paty do Alferes (RJ)

A semana do feriado de Corpus Christi é vermelha em Paty do Alferes. Para a cidade fluminense de menos 30 mil habitantes, o período marca também a realização da Festa do Tomate, um dos principais eventos do estado do Rio de Janeiro.

Mais de 40 mil pessoas – ou seja, mais de uma Paty do Alferes por dia – frequentam a festa que consagra a produção agrícola local. As atividades agrícolas, porém, são apenas uma parte da celebração, e estão hoje centradas, principalmente, nos concursos Leiteiro e de Qualidade do Tomate.

Concursos de culinária – com tomate, é claro – e eleição da rainha da festa movimentam o evento, que traz apresentações musicais de artistas conhecidos em todo o Brasil. A festa ainda mobiliza a comunidade local através de eventos esportivos como o Torneio de Vôlei e a Corrida Rústica.

Nem sempre foi o tomate o destaque da produção agrícola em Paty do Alferes. Primeiro povoado da região serrana do Rio de Janeiro, o município contou com fazendas produtoras de café e açúcar. Algumas delas, desativadas, estão hoje abertas à visitação. Uma boa ideia é estender a passagem por lá para conhecer as principais, que se tornaram pontos turísticos. Antiga Fazenda da Freguesia, a Aldeia Arcozelo é um complexo cultural aberto à visitação. Além da casa-sede, possui uma capela com santos negros, em homenagem aos escravos, e um teatro de arena. Já a Fazenda Pau Grande, uma das primeiras da região, produziu açúcar e, mais tarde, café. As antigas instalações do engenho continuam lá e estão abertas a visitação. E a Fazenda Monte Alegre é um imóvel privado. O dono, Gabriel Fonseca, abre à visitação para os turistas com agendamento. Os jardins do casarão estão repletos de esculturas gigantes feitas por Fonseca.

A antiga produção de cana significava também matéria-prima farta para produção de cachaça, e hoje o município conta com o Museu da Cachaça, com mais de 2 mil rótulos.


Siga o AlugueTemporada

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
  • Youtube
  • Linkedin