Procissão Marítima de Angra dos Reis: Dicas e Informações

Pular sete ondas à meia noite da virada está mais que permitido. No entanto, você pode incrementar a simpatia e passar também o dia seguinte em alto mar.

Pedidos de ano novo em alto mar

Não, não estamos falando de fazer um cruzeiro, mas de participar da tradicional procissão marítima de Angra dos Reis, que acontece no primeiro dia do ano à tarde.

 

Como em uma procissão tradicional, o objetivo é agradecer as graças alcançadas e pedir novas benesses. A diferença aqui, é que o caminho é percorrido de barco e o culto é, digamos, de caráter menos religioso. Enquanto a tradicional perfaz as ruas da cidade a pé, em geral partindo de uma Igreja e chegando à outra, a de Angra parte da praia das Flechas, na Ilha da Gipóia, e chega na praia do Anil, com barcos navegando pelo Oceano Atlântico. Uma boa pedida para continuar a festa de réveillon e ainda assistir a um belo pôr-do-sol na paradisíaca praia de Jurubaíba.

 

O trajeto oficial, da praia das Flechas até Anil, tem 7 km de extensão. Saveiros, traineiras, lanchas, jet-skis e até botes de inflar são decorados e seus ocupantes fazem do evento um verdadeiro carnaval em alto mar. Uma barca elétrica é responsável pela música, mas as embarcações de médio porte geralmente têm seu próprio DJ, responsável por animar os participantes durante toda a travessia. Prêmios em dinheiro são distribuídos para os barcos vencedores nas categorias alegoria, originalidade e animação. Reza a lenda que a festa foi criada por Boni, ex-global que tem casa na Gipóia, e sempre tem famosos como jurados.

 

Para quem não quer festa apenas no dia seguinte à noite de ano bom, a programação da celebração oferece muitas atividades no Cais de Santa Luzia. Em geral, o happy hour “Esquenta da Procissão Marítima”, realizado nas três noites anteriores ao evento, serve para que os participantes se conheçam e já comecem a interagir. Este também é o momento perfeito para os mais atrasadinhos comprarem seu abadá e garantirem seu lugar nas embarcações. No próprio dia 1º, se você conseguir acordar cedo, poderá se preparar para a tarde na concentração na Praia das Flechas, Ilha da Gipóia, a partir do meio-dia.

 

Nos dias seguintes, para se recuperar da ressaca, ops, da festança, um passeio menos agitado pelas demais enseadas de Angra vai bem. O local possui cerca de trezentas ilhas, que garantem paisagens de tirar o fôlego. Não deixe de visitar a praia do Bananal e a praia Secreta, verdadeiras maravilhas naturais. Uma passadinha pela Usina Nuclear também pode ser interessante, mesmo que seja só de longe. Caso você goste de conhecer a história do Brasil, o centro de Angra é perfeito. Destaque especial para a casa grande da Fazenda do Pontal, construída no século XVIII e ainda com o engenho e a roda d’água para moer cana, herança da época do açúcar no país.